Noticias

Planejamento financeiro: aprenda a fazer um em 4 passos simples

Saber como fazer um planejamento financeiro sempre foi um desafio na sua vida? Então, você vai gostar de descobrir que esse processo não precisa ser tão difícil, muito menos restritivo. Ter uma melhor relação com o dinheiro pode ser mais simples do que parece, desde que você aposte nas melhores estratégias.

Ao se deparar com as palavras “planejamento financeiro”, muitas pessoas já pensam que vão precisar restringir todos os gastos, não podendo mais fazer uma despesa com algo que gostam. Na verdade, o processo é justamente o oposto. Por meio de uma boa organização, você vai perceber que é possível comprar o que quer sem perder o controle das finanças.

Quer saber como fazer isso da melhor maneira? Entenda o que é o planejamento financeiro e confira 4 dicas que vão ajudar a caprichar no seu orçamento!

O que é o planejamento financeiro?
Fazer uma boa estimação e um controle adequado das finanças pessoais é basicamente o principal objetivo do planejamento financeiro. Esse é um processo contínuo, que dura a vida inteira e reúne alguns hábitos saudáveis para o seu bolso.

Com um bom planejamento das suas finanças, é possível se organizar melhor ao longo dos meses e fazer com que o seu dinheiro trabalhe para você. Dessa forma, fica muito mais fácil fugir de apertos e evitar se envolver em dívidas difíceis de quitar.

Qual é a importância de realizá-lo?
Já aconteceu de, em algum momento na sua vida, você se esquecer de pagar uma conta e, quando percebeu, ela já tinha se tornado uma dívida bem maior do que a inicial? Ou, então, já teve certeza de que seria possível comprar um agrado no fim do mês, mas ao chegar o dia, percebeu que o dinheiro não é suficiente?

Esses são apenas alguns dos problemas causados pela falta de planejamento financeiro. Afinal, são detalhes que passam despercebidos ao não ter um bom acompanhamento da situação financeira, nem boas estratégias para alcançar as metas nas finanças.

Realizar uma boa administração do seu dinheiro ajuda a evitar que esses problemas se tornem frequentes. Além disso, traz uma série de vantagens, como:

controle das despesas;
redução de gastos desnecessários;
conquista de bens;
diminuição das dívidas;
aumento da tranquilidade com as finanças;
segurança e estabilidade financeira.
Quais são as 4 principais dicas para fazer um planejamento financeiro?
Entendeu por que ter uma melhor relação com o dinheiro é um processo tão valioso para a vida de qualquer pessoa? É por isso que conhecer as seguintes dicas de planejamento financeiro vai fazer uma grande diferença no seu dia a dia. Veja!

  1. Saiba quanto você ganha e gasta
    Ter uma previsibilidade de receita e das despesas mensais é um ponto fundamental para alavancar as finanças. Afinal, essas informações entregam o quanto você ganhou e o quanto gastou em um determinado intervalo de tempo.

Com um simples cálculo de subtração é possível ver se as contas batem e se o dinheiro que você tem é suficiente para arcar com os gastos. Caso as despesas estejam maiores que as receitas, é um sinal de que a saúde financeira não vai bem.

Uma maneira de ter essa informação em mãos é anotar com frequência as entradas e as saídas. Dessa forma, é possível se organizar melhor, saber se vai precisar procurar dinheiro extra e perceber quando é a hora de parar de gastar demais com algo desnecessário.

  1. Faça um orçamento de todas as contas
    Defina quanto você pretende e pode desembolsar com as contas mensais. A partir disso, organize os seus gastos fixos e variáveis. Esses são, respectivamente, aqueles que precisam ser pagos, sempre no mesmo valor, mensalmente, e as despesas que podem ter valores variados a cada mês.

No caso dos gastos variáveis, é interessante fazer uma média dos últimos 6 meses, se possível, para ter uma maior previsibilidade do valor que precisa ser reservado para essas contas.

A partir disso, é possível avaliar se a sua renda é suficiente ou se é necessário recorrer a estratégias para aumentá-la. Além disso, você consegue ver quais são os possíveis gastos que estão comprometendo a saúde financeira e, a partir disso, traçar táticas para reduzi-los.

  1. Defina metas
    Lembra que falamos que você não precisa ficar sem comprar o que deseja? Com uma boa organização financeira, é possível levar tudo; só talvez não seja na hora que estava esperando.

Uma maneira de fazer compras mais conscientes é definir o que você deseja adquirir em um determinado intervalo de tempo. Assim, essas vão se tornar metas para economizar, seja para ter férias tranquilas ou qualquer outro objetivo que envolva um tipo de investimento. Inclusive, elas podem se tornar a motivação necessária para manter o controle financeiro.

  1. Poupe
    É importante também guardar uma parte da sua renda a cada mês. A partir disso, é possível formar um fundo, seja para alcançar as suas metas, seja para lidar com emergências. Em ambos os casos, é fundamental definir o quanto você deseja poupar a cada salário.

Caso o seu orçamento esteja bastante comprometido e não seja possível guardar nenhuma quantia, vale a pena considerar as possibilidades que tem para ganhar mais. Uma renda extra pode trazer um enorme alívio na gestão financeira.

Quais erros devem ser evitados?
Agora que você sabe como acertar no seu planejamento financeiro, é importante também ter ideia do que não fazer. Assim, é possível melhorar o processo cada vez mais e cuidar bem de todo o seu orçamento.

Por isso, veja também alguns erros que devem ser evitados quando o assunto é planejamento financeiro!

Subestimar os gastos
Se em todos os meses a sua conta não fecha, mesmo seguindo todos os passos do planejamento financeiro, pode ser que você esteja deixando de lado algum ponto importante. Geralmente, esse problema pode estar relacionado a não fazer uma boa previsão dos gastos.

Achar que as despesas vão ser menores do que realmente são é um grande problema, principalmente com quem enfrenta dificuldades para manter o controle do cartão de crédito. Por esse motivo, sempre tente fazer uma aproximação realista do quanto você deve e pode gastar mês a mês.

Não acompanhar os gastos
De nada adianta ter boas metas financeiras, se você não faz ideia de quanto gasta. Às vezes, pode ter um dinheiro indo embora sem nem passar pelos seus olhos, justamente por falta de um bom monitoramento.

É por isso que vale a pena acompanhar cada gasto, do menor ao maior. Uma planilha ou um aplicativo pode dar conta desse trabalho e ajudar você a ficar por dentro de cada centavo que entra ou que sai do seu bolso.

Esquecer de fazer uma reserva financeira
Por melhor que seja o seu planejamento financeiro, é difícil se preparar para todos os imprevistos possíveis. É por isso que você precisa ter estratégias também para quando as coisas começarem a sair do seu controle.

Uma reserva financeira é capaz de cumprir esse papel. Trata-se daquele dinheiro guardado apenas para gastos que surgem como emergência. Por esse motivo, deve ser poupado de forma separada daquela quantia que você está guardando para comprar presentes, por exemplo.

Além disso, como o dinheiro vai ficar parado por um tempo, vale a pena fazê-lo render. Colocar a reserva financeira em uma conta-corrente é mais um erro que você precisa evitar na organização para alavancar as finanças.

Como você viu, contar com um bom planejamento financeiro pode livrar você de uma série de problemas, inclusive o nome sujo. É por isso que vale a pena reorganizar a rotina e renovar os hábitos, até desenvolver uma relação mais saudável com o seu dinheiro.