Tecnologia

Marambaia, Favela, Túnel do Sacavém e Terrestres são destaques no 1ª dia de desfiles das escolas de samba de São Luís

Agremiações desfilaram na noite de domingo (19), acabando com o jejum de dois anos sem desfiles na Passarela do Samba Chico Coimbra, devido à pandemia. Enredos prestaram homenagens e exaltaram figuras importantes.

Uma noite de muita emoção, brilho, samba no pé e alegria. Assim foi o primeiro dia dos desfiles das escolas de samba de São Luís, realizado nesse domingo (19), na Passarela do Samba Chico Coimbra, no Anel Viário, em São Luís.

O deleite da retomada do Carnaval na Passarela do Samba, que ficou suspensa por dois anos, devido à pandemia de Covid-19, pode ser visto no semblante dos foliões que compareceram às arquibancadas durante as apresentações e nos milhares de brincantes que desfilaram pelas quatro escolas que cruzaram a avenida.

Devido às fortes chuvas que, caíram desde as primeiras horas de domingo na capital maranhense, houve um atraso de mais de 1h no início dos desfiles. Mas nem mesmo o temporal e o vento frio, foi suficiente para desanimar o público, que compareceu com muita animação ao local em grupos de amigos ou familiares e, estavam prontos para torcer para suas agremiações.

A programação começou por volta das 20h, com o desfile do tradicional grupo Fuzileiros da Fuzarca. Com cerca de 100 componentes, entre ritmistas e pastores, o bloco foi fundado em 1936 por poetas e compositores apaixonados por samba e pelo carnaval e, desde então, o grupo resiste ao tempo e é uma das manifestações mais genuínas e importantes da cultura popular ludovicense.

Logo em seguida e debaixo de muita chuva, os Ritmistas do São João de São José de Ribamar cruzaram a Passarela do Samba. O ritmo cadenciado dos tambores, animou o público que se fez presente e foi uma espécie de aquecimento para o início dos desfiles das escolas de samba.